Avaliação gratuita de baterias seladas

Prédios corporativos e empresas devem ficar atentos com alguns cuidados na iluminação de emergência.

Em São Paulo o número de novos edifícios corporativos e empresas é crescente e alguns detalhes na hora de cuidar da integridade das pessoas é essencial. É o caso da iluminação de emergência que previne acidentes e amplia a segurança das pessoas que transitam por esses espaços.

A Valvolândia, empresa especializada na venda de baterias e válvulas, oferece para edifícios corporativos e empresas um serviço de diagnóstico técnico gratuito para substituição e manutenção de baterias seladas, o que permite que os edifícios e empresas diminuam seus gastos com este tipo de serviço e estejam em ordem com as normas de segurança.

A iluminação de emergência é parte fundamental dentro das especificações de norma de segurança contra incêndio uma vez que sinalizam rotas de fuga e auxiliam na evacuação segura de prédios em caso de incêndio, por exemplo.

“Muitos edifícios e empresas não tem conhecimento sobre a data de validade das baterias seladas, sua vida útil é de dois anos, mesmo que não seja utilizada, por isso, o ideal é fazer a manutenção preventiva com regularidade,” revela Estevan Matheus, proprietário da Valvolândia

Sobre a Valvolândia

Especializada em válvulas e baterias, a Valvolândia, é mais que uma loja de rua. Inaugurada em 1960, com o objetivo de suprir a crescente demanda de válvulas e baterias, a loja se confunde com o desenvolvimento tecnológico do Estado de São Paulo. Ela foi a uma das repositoras de válvulas para o primeiro computador instalado no Brasil, em 1957. Com o passar do tempo, a loja virou ícone deste segmento no mercado nacional e hoje comercializa baterias dos mais diversos modelos, marcas e utilidades, além de válvulas para transmissores de televisão e rádio, equipamentos médicos e cirúrgicos, prensa de fabricação de carros, lanternas, pilhas carregáveis e recarregadores, cabos de conexão, produtos eletrônicos para reposição industrial e iluminação de emergência. Em sua carteira de clientes figuram empresas como Petrobras, Rede Globo, Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), TAM, Varig, Credicard, Banespa, Unibanco, PUC, USP, Votorantin, entre outras.

TV a cabo sem cobrança de ponto adicional e, de quebra, por sinal fora do ar

Enfim, a farra das operadoras de TV a cabo vai acabar: é que a partir do dia 2 de junho elas não poderão mais cobrar pelo ponto adicional, por determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A agência entende que não há custo adicional para liberar mais de um ponto na mesma residência e o consumidor não deve pagar mais por isso. Pela nova regra, as operadoras só poderão cobrar uma taxa pela instalação do ponto adicional.

A favor do consumidor

TV fora do ar? Pois agora você não vai mais pagar por isso!Outro incômodo para os mais de 30 milhões de usuários de TV a cabo é quando o sinal fica fora do ar. Pois agora o consumidor vai ter desconto nas mensalidades proporcional aos dias e horas que o sinal da TV ficar fora do ar.

Além dessas novas regras, o consumidor também vai poder suspender o sinal (e também a cobrança) por até quatro meses durante o ano. E ainda, se ocorrer cobrança indevida por parte da operadora, o usuário deverá ser indenizado pelo dobro do valor cobrado irregularmente.